Pages

Ads 468x60px

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Pussy Riot, a banda que atormenta Putin



As três mulheres podem levar até sete anos de cadeia, mas presidente diz que situação não é grave

As três mulheres da banda punk Pussy Riot começaram a ser julgadas esta segunda-feira e podem apanhar até sete anos de prisão por uma polémica ação de protesto numa igreja de Moscovo, em fevereiro. Com os rostos cobertos, as mulheres cantaram uma música intitulada «Virgem Maria, libertai-nos de Putin», na Catedral de Cristo Salvador. O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira que as três mulheres não deveriam ser julgadas severamente pela ação de protesto. Durante uma visita aos Jogos Olímpicos de Londres, Putin disse à agência de notícias Interfax que, apesar de não concordar com a ação da banda, é da opinião de que elas não deveriam receber uma punição severa.

«Eu não acho que devam ser julgadas severamente por isso. Espero que o tribunal chegue a uma decisão adequada e justa», afirmou o presidente russo, acrescentando que cabe à Justiça decidir sobre o caso.

Diversos grupos vêm demonstrando apoio à banda punk em protestos internacionais, como a organização de direitos humanos Amnistia Internacional, a banda Red Hot Chili Peppers, o cantor Sting e a cantora alemã Nina Hagen.

A Amnistia Internacional lançou uma campanha de apoio à libertação da banda Pussy Riot, que enfrenta o quinto dia de julgamento nesta sexta-feira em Moscovo. Sob o lema «Liberdade de expressão não é vandalismo», a organização de defesa dos direitos humanos escreveu uma carta ao procurador-geral russo, Yuri Yakovlevich Chaika, e ao procurador de Moscovo, Denis Gennadievich Popov. A carta é um pedido de suspensão das acusações e de investigação imediata e imparcial das «ameaças recebidas por familiares e advogados das três mulheres», além da garantia de proteção.

VEJA O VÍDEO ABAIXO!

Pussy Riot

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Tulipa Ruiz -Tudo Tanto


BAIXE AQUI!Disco completo em MP3 360kbs

O aguardado novo álbum de Tulipa Ruiz, Tudo Tanto, foi disponibilizado para download gratuito no site da cantora. A cantora já havia liberado anteriormente as faixas “É”, “OK” e “Dois Cafés”, seu dueto com Lulu Santos, e com a chegada do CD nas lojas os fãs podem baixar livremente.


Encontro com Milton Santos ou O mundo global visto do lado de cá



O filme trata do processo de globalização com base no pensamento do geógrafo Milton Santos, que, por suas idéias e práticas, inspira o debate sobre a sociedade brasileira e a construção de um novo mundo..

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Guerra das ideias Flávio Calazans

Em fevereiro de 1987 saía a primeira edição de Guerra das ideias como edição extra do fanzine Quadrix, editado por Worney Almeida de Souza em São Paulo. Essa edição quase artesanal logo se transformou num acontecimento no meio dos quadrinhos independentes brasileiros. Esse magnífico álbum de Flávio Calazans é formado por uma série de pequenas histórias em quadrinhos de duas páginas que se encadeiam formando uma grande história muito bem estruturada, a história do processo civilizatório desde os primeiros agrupamentos humanos até a revolução telemática.

Calazans firmava-se, com Guerra das ideias, como um dos mais criativos quadrinistas de sua geração, com uma obra baseada em pesquisas acadêmicas, com o experimentalismo no campo visual e a proposta inovadora do que viria a ser conhecido como “quadrinhos poéticos”, ou “poético-filosóficos”, como também são chamados. Guerra das ideias parte desse princípio, da quebra da formatação dos quadrinhos comerciais, da exploração dos limites da criatividade e da crítica política por intermédio da reflexão pessoal.

Malgrado o álbum abordar um universo amplo e complexo, Calazans apresenta com maestria um verdadeiro tratado sobre a história da humanidade, suas lutas, contradições, mesquinhez e tiranias. Seu olhar é extremamente personalizado, mas ricamente fundamentado nos pequenos detalhes, minúcias de arquitetura, ambientação, vestuário, fauna e flora. O rigor na elaboração dos quadrinhos os aproxima da realidade histórica, ainda que subvertida pela interpretação crítica do autor.

LinkO espírito contestador de Calazans flui perfeitamente em Guerra das ideias, que se baseia na dualidade do cérebro: lado esquerdo x lado direito, conformismo x fantasia, lógica x liberdade criativa. As ideias revolucionárias contra os sistemas estabelecidos vêm à tona no discurso de negros, judeus, anarquistas, filósofos, que se confronta com preconceitos raciais, religiosos e políticos.

Esta quinta edição de Guerra das ideias – um fenômeno de persistência no volátil meio das produções independentes – corrobora a importância desse trabalho e brinda os leitores com uma obra que oferece um grande deleite em refinamento gráfico e um rico repertório para reflexão.

H. Magalhães


A Metamorfose Franz Kafka

graphic13286400 [Quadrinhos] A Metamorfose   Franz Kafka e Peter Kuper
Clique na Imagem para Baixar

“A adaptação de Peter Kuper de A Metamorfose, de Kafka, é tão singular quanto esta bizarra história. Seu estilo transmite o horror deste clássico.” Will Eisner, criador do Spirit

“Borbulhando embaixo da superfície está um caldo cáustico de humor negro, que é tão perturbador quanto absurdo. Essa é a magia de Kafka. E Kuper dá a ela um tom pós-moderno, numa intrigante dança de imagens e texto.”
Gannett News Service

“Uma brilhante adaptação ilustrada do famoso conto de Franz Kafka. É uma leitura extremamente prazerosa, na qual todos serão capazes de reconhecer o drama existencial e o inigualável senso de humor do texto original.” Susan Bernstein, professora de literatura comparada e estudos germânicos da Universidade Brown

“Os personagens arquétipos e angustiados de Kafka são transformados sem grandes dificuldades em equivalentes gráficos e ganham nova vida no estilo gráfico cru e expressionista de Kuper.” Publishers Weekly

“Como demonstrado em tentativas anteriores de adaptar literatura para os quadrinhos, como os muitos livros da série Clássicos Ilustrados, a estrada do livro para os quadrinhos pode ser bastante esburacada. Kuper conduz essa transição com precisão.” New York Times



O Complô: Will Eisner


http://2.bp.blogspot.com/_4aI5xkWB6W0/TNBhCoRlP3I/AAAAAAAANFw/q_360ByPFuM/s1600/complobaf.jpg
Clique na imagem para baixar.

Em 1864, o escritor francês Maurice Joly publicou clandestinamente o livro O diálogo no inferno de Maquiavel e Montesquieu, uma sátira ao imperador Napoleão III. Quase trinta e cinco anos depois, o livro caiu nas mãos de Mathieu Golovinski, russo exilado na França a serviço da polícia secreta do tsar Nicolau II. O objetivo dessa polícia era provar a Nicolau II que havia uma conspiração judaica por detrás das revoltas que começavam a assolar a Rússia. Percebendo o potencial do livro de Joly, Golovinski produziu um plágio grosseiro - Protocolos dos sábios do Sião -, em que um suposto grupo de judeus influentes descrevia seu plano de dominação mundial, traçado durante um encontro secreto.
O complô
conta a história da fabricação dessa farsa, e de como ela se tornou uma das mais duradouras e cruéis peças de literatura anti-semita já produzidas. Nesta graphic novel, concluída poucos meses antes de sua morte, Will Eisner investiga também por que nem mesmo as inúmeras provas que vieram à tona, já na década de 20, de que os Protocolos eram falsos, conseguiram minar sua credibilidade. As histórias em quadrinhos, acreditava ele, seriam uma maneira de levar a um público maior a verdade sobre os protocolos. Um dos grandes mestres do gênero, Eisner percorre em O complô mais de um século da história da intolerância, sem deixar de lado aqueles que tentaram combatê-la.

domingo, 29 de julho de 2012

 

Sample text

Sample Text

Sejam bem vindos!!

Sample Text